Nosso olhar...

0 comentários
Do meu canto não apenas vejo o compasso dos dias, faço-me peregrino na minha cotidianidade existencial. Torno-me insistente na aventura da fé e me debruço na arte de ri da vida e de si mesmo, não por sarcasmo e desrespeito, mas por contemplação e sentimento de equilíbrio. Do meu canto vejo as mudanças no coração e o fascínio da esperança continuada. Continuar é movimento de felicidade, de resiliência, de sentido. Do meu canto a presença, a escolha, o amor, o acasalamento dos sonhos, a descoberta do desconhecido visível. Do meu canto o nosso olhar como vocação à simbiose. Do meu canto, simplesmente eu e você.

Ant. Marcos

0 comentários:

Postar um comentário

 

©Copyright 2011 Linhas e Reticências... | TNB